Blog

4 segredos para ganhar dinheiro no meio da crise

4 segredos para ganhar dinheiro no meio da crise

17/02/2017

Já parou pra pensar que todo gestor de empresa sempre passa em dobro por uma crise econômica? Sim, em dobro:

 

1 – O gestor de negócios passa por uma crise econômica enquanto líder e gerente de uma empresa, agindo como um mediador de indicadores e variáveis, e ainda como um condutor, aquele que conduzirá toda sua equipe para as melhores soluções, o mais rápido possível.

2 – No entanto, um gestor também é uma pessoa que consome e que possui uma família (ou planeja possuir no futuro). Ele que também precisa utilizar serviços e adquirir produtos no decorrer de seu dia a dia e por isso também sente no bolso quando os preços sobem.

 

Numa crise econômica, todo empreendedor torna-se um equilibrista, que precisa ao mesmo tempo agir e reagir aos contratempos desses períodos turbulentos.

 

 

Temos uma boa notícia!

Se por um lado, dentro do papel de consumidor, não é possível controlar os preços de tudo aquilo que se compra, sobretudo o essencial e básico para a vida, por outro, o Gestor de Negócios possui em suas mãos a chave para tomar decisões importantes capazes de diminuir efetivamente os efeitos da crise em sua empresa.

 

Além de proteger seu patrimônio, ele também acaba interferindo positivamente na vida de outras pessoas, pois tais ações podem evitar situações como a dispensa de recursos humanos ou até mesmo o corte de salários de colaboradores, o que pode afetar diretamente na motivação e desempenho de sua equipe.

 

Portanto é isso: você pode sim interferir positivamente no sentido de amenizar os efeitos da crise econômica, aliviando sua vida e a de quem está em sua volta.

 

 

 

 

É possível gerar dinheiro no meio da crise?

 

Sim, por isso mesmo listamos logo abaixo algumas iniciativas que podem ser tomadas imediatamente aí na sua empresa. Veja só:

 

1 – Verifique com atenção a possibilidade de vender parte do estoque ou até mesmo devolver o excesso ao fornecedor, desde que isso não prejudique o abastecimento da empresa ou o planejamento inicial;

2 – Tente renegociar algum parcelamento com alguns credores (fornecedores, bancos etc);

3 – Substitua dívidas de alto custo (aquelas com cheque especial, por exemplo) pelas de custos mais baixos, como alguma linha de crédito específica para capital de giro.

4 – Já pensou na possibilidade de desfazer de algum ativo não utilizado?

5 – Reduza a retirada dos sócios (pró-labore) sempre que isso for possível e consensual.

 

 

 

4 segredos para sua empresa ser maior que a crise

 

Quando a gente disse que você, enquanto gestor de uma empresa, possui em suas mãos a possibilidade de interferir numa situação adversa, anulando-a ou até mesmo diminuindo-a, dentro do contexto do seu negócio, era sobre isso que estávamos falando:

 

1 – A concessão de crédito para clientes

Sua empresa não precisa esperar pela chegada de uma crise econômica para ter uma política própria de concessão de crédito bem definida. É comum, sobretudo quando se trata de empresas menores, que haja um relacionamento de proximidade com os clientes e isso pode fazer com que se crie uma maior flexibilidade quanto ao fornecimento de crédito, muitas vezes pautado por uma certa dose de afetividade, algo que para o relacionamento profissional e corporativo não é nada bom.

Hoje é possível usar meios eletrônicos para fazer a gestão da política de crédito ou até mesmo o recurso de formas de pagamento mais confiáveis, como o cartão de crédito/débito. Há ainda as opções de transferências e boletos eletrônicos que facilitam quando o cliente é outra empresa.

É extremamente importante que uma empresa possua uma política de crédito bem definida, alinhada a sua estratégia de gestão financeira e que tenha rigor em sua execução.

 

2 – A inadimplência

A inadimplência refere-se aos valores não recebidos dos clientes dentro dos prazos de vencimento. Em primeiro lugar, a empresa precisa definir uma meta que possa ser o índice aceitável de inadimplência, como por exemplo, 3% ao mês. Em seguida, elaborar critérios para que um acompanhamento seja feito para que essa meta possa ser alcançada todos os meses. Sendo assim, tanto quando a meta for alcançada como quando não for, será possível identificar as causas desses resultados, sejam eles positivos ou não.

Outro aspecto importante desta gestão é identificar quais os clientes cumprem seus prazos de pagamento e quais os que não cumprem. Dessa forma, é possível pensar em maneiras diferentes de se relacionar com cada cliente, a partir de datas de vencimento, formas de pagamento e etc. 

 

 

3 – A cobrança

A partir das informações vindas do contas a receber e do cadastro de clientes, é importante que a prática da cobrança também esteja alinhada à política de crédito e também com as diretrizes da gestão financeira.

A empresa deve definir quais serão as etapas da cobrança que irá adotar, por exemplo: ligar para o cliente, enviar aviso de cobrança, propor um acordo para o recebimento, enviar para cobrança judicial. Além da clareza de cada uma dessas etapas, é essencial que todas elas estejam relacionadas gradativamente dentro do que a empresa compreende ser o seu processo de cobrança.

 

 

4 – A tomada de dinheiro no mercado

Como já tido no início deste texto, a decisão de tomar dinheiro emprestado vai além de um “sim” ou “não”. Essa decisão precisa ser resolvida a partir da perspectiva das taxas de juros, prazos, carências, exigências e documentações, tudo isso a partir das regras do empréstimo. Antes de partir para um empréstimo, será que você já avaliou se todas as medidas de redução de custos realmente já foram tomadas?

 

Leia o texto 3 passos para reduzir custos nas pequenas empresas.

 

 

 

A crise passa, sua empresa fica

 

Esse é o entendimento chave de tudo o que foi dito aqui. Crises econômicas pedem que ajustes sejam feitos e decisões sejam tomadas, e nem sempre todo esse processo é algo simples, claro ou fácil de ser feito. Por isso é importante a observação do seu planejamento anual em todas as tomadas de decisão. Por isso que sempre dizemos que a gestão financeira representa o coração de sua empresa, pois está diretamente ligada a todas as outras etapas ou setores.

 

Caminhar junto com alguém disposto a ajudar é sempre melhor do que andar sozinho. Se sentir perdido no meio de uma crise é bastante comum, só não é sensato continuar perdido esperando as soluções caírem do céu.

 

Não ande sozinho, entre em contato conosco da Marco Contabilidade & Gestão. Podemos construir juntos as soluções incríveis para que a sua empresa supere todos os desafios das fases turbulentas. Vamos nessa?

Posts Relacionados

Como manter a gestão financeira diante da crise do Coronavírus?

Como manter a gestão financeira diante da crise do Coronavírus?

data 22/04/2020

Queda no faturamento, redução de movimento de clientes, desaceleração na produção, desfalque no número de colaboradores… As complicações decorrentes da crise são variadas. Para adaptar a gestão financeira nesse período, há alguns passos que precisam se tornar prioridade.

Continuar Lendo >>
Gestão de crise em tempos de Covid-19: Planejamento é a chave

Gestão de crise em tempos de Covid-19: Planejamento é a chave

data 14/04/2020

Como os jornais brasileiros têm noticiado, já é possível afirmar que um dos efeitos da pandemia está sendo sentido também no mercado, de forma mais ou menos impactante para determinados setores da indústria e de serviços. Como lidar com todas as preocupações decorrentes desse cenário? As principais lições que podem ajudar empresários nesse momento estão nas estratégias de gerenciamento de crise.

Continuar Lendo >>
Crédito Imóvel Próprio: o empréstimo que pode resolver sua situação financeira

Crédito Imóvel Próprio: o empréstimo que pode resolver sua situação financeira

data 13/06/2017

Neste texto vamos falar sobre um assunto bem comum na vida de muitas pessoas e talvez seja na sua também. Vamos falar sobre dívidas. Mas também sobre como superá-las.

Continuar Lendo >>

Agende uma apresentação agora mesmo!

Clique aqui